Publicações | Publications

• TISSOT, Karla N. S. A. A criança e a cidade: percepções e rememorações infantis sobre Pelotas (RS). InterEspaço: Revista de Geografia e Interdisciplinaridade. Grajaú/MA. v. 2, n. 6 p. 33-59. maio/ago. 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.18764/2446-6549/interespaco.v2n6p33-59

Resumo: Esse artigo pretende abordar a percepção da cidade através do ponto de vista de duas crianças, o que lhes chama atenção na paisagem e como expressam o que enxergam, sentem, experimentam no espaço. No entanto, a metodologia inicial – observação participante e entrevista livre em campo – encontrou um obstáculo quando as crianças passaram a silenciar-se acerca da experiência. Desta maneira, uma nova estratégia foi traçada: aplicar técnicas de história oral temática juntamente com a navegação no Google Maps Street View (GMSV), ou seja, procuraram-se os lugares citados no mapa on-line para descobrir, a partir do diálogo lembrança-mapa, quais caminhos e lembranças eram evidenciados. Nessa nova configuração, como considerações parciais, destaco os novos desafios que foram traçados: como fazer entrevistas com crianças tão novas utilizando a história oral? De que forma a utilização do mapa seria útil? E de que maneira a criança pode ser um protagonista no processo de construção da imagem da cidade? Palavras-chave: Cidade; Infância; Percepção; Memória.


The child and the city: Children’s perceptions and recollections of Pelotas (RS)

Abstract: This paper intends to address on the perception of the city through the perspective of two children, what catches their attention on the landscape and how they express what they see, feel and experience in that space. However, the initial methodology – participant observation and free interviews during fieldwork – found an obstacle when the children began to become silent throughout the experiment. Thus, a new strategy was drawn: to apply thematic Oral History techniques with Google Maps Street View (GMSV) navigation, i.e. we looked for the places mentioned in the online map to find out, from the memory-map dialog, what pathways and memories were highlighted. In this new configuration, the highlights are the new challenges that were traced, as partial considerations: how to conduct interviews with such young children using the oral history method? How could the use of the maps be useful? And how can the children be players in the city image building process? Keywords: City; Childhood; Perception; Memory.


• NAZARETH-TISSOT, Karla. A cidade da infância (re)visitada: a relação entre presente e passado sobre o futuro da nostalgia em Pelotas (RS). 2017. 210f. Dissertação (Mestrado em Memória Social e Patrimônio Cultural) — Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural, Instituto de Ciências Humanas, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2017.

Resumo: O tempo se inscreve na cidade e a cidade, através de suas transformações, ausências e permanências se inscreve na memória de seus habitantes. Em pouco mais de trinta anos, quem viveu a infância em Pelotas (RS) nos anos 80 e início dos anos 90, ao confrontar a cidade lembrada e a cidade percebida, com frequência deixa transparecer o sentimento nostálgico em suas narrativas. Entre conversas com amigos pelotenses, cujas infâncias se deram na referida época, a nostalgia em seus relatos, no entanto, parece ir além de uma mera presença de passado, parece indicar também um sentimento menor ou maior de pertença e identidade com relação a Pelotas (RS), e não somente no presente, mas também sobre às projeções de futuro.
Desta feita, esse estudo busca compreender como os lugares nostálgicos são percebidos na cidade de Pelotas (RS) e como a imagem resultante dessa percepção se relaciona com a construção do senso de identidade e de pertencimento com a cidade. A estratégia para responder a essa indagação é o de identificar o tipo de relevância que os lugares possuem e a nostalgia acionada por eles. A abordagem metodológica se apóia na fenomenologia da Geografia Humanística, com enfoque nos elementos organizadores da imagem da cidade elaborados por Kevin Lynch.
Assim, através das entrevistas com pessoas nascidas entre 1977 e 1982, notamos que os lugares recordados podem ser classificados através de elementos muito similares aos sugeridos por Lynch, além de evocarem sentimentos nostálgicos de naturezas distintas. Também sugerirmos que, quanto mais marcos espaciais e zonas afetivas os sujeitos possuem, e quanto maior e mais positiva a nostalgia que provocam, maior a identidade e pertencimento com a cidade. Palavras-Chave: nostalgia; lugar; tempo; percepção; memória.


The childhood city (re)visited: the relationship between present and past on the future of the Pelotas City’s nostalgia.

Abstract: Time is embedded in the city and the city, through its transformation, absences and continuity is also embedded in the memory of its habitants. In the last 30 years or so, those who lived in the city of Pelotas (RS/Brazil) in the 80s and 90s, when confronted with the city they remember and the city they perceive, usually show the feeling of nostalgia in their narratives. Among conversations with friends from Pelotas (RS/Brazil), whose childhoods happened during this time, the nostalgia in their reports seems to go beyond the mere presence of the past. It seems to indicate a feeling of identity and belonging, in greater or lesser extents, to the city of Pelotas (RS/Brazil), and not only in the present, but also in relation to the future.
Therefore, this research aims at understanding how nostalgic places are perceived in the city of Pelotas (RS/Brazil) and how the resulting image of this perception relates with the building of the sense of identity and belonging to the city. The strategy to answer these questions is to identify the type of relevance that these places have and the nostalgia they incite. The methodological approach is supported by phenomenology in the Humanistic Geography with emphasis on the elements that organize the image of the city developed by Kevin Lynch.
Hence, through interviews with people born from 1977 to 1982, it is possible to notice that the places they remember can be classified through many elements similar to those suggested by Lynch, besides evoking nostalgic feelings of distinct natures. Furthermore, we can notice that subjects who have more spatial marks and affective zones, and greater positive feelings of nostalgia associated to those places, have greater identity of belonging to the city. Keywords: nostalgia; place; time; perception; memory.